0
Sobre o Qi Gong

Sobre o Qi Gong

Qi (Chi), em chinês, significa energia. Gong (Kung), significa método, mobilização ou prática. O termo Qi Gong (pronuncia-se Chi Kung) se refere a um ramo da Medicina Tradicional Chinesa, que visa a mobilização da energia sutil do corpo (Qi), a correção de desarmonias e o reestabelecimento do equilíbrio da saúde física e emocional do praticante.

O Qi Gong é uma técnica milenar que não pode ser atribuída a uma pessoa em específico e que une, ao mesmo tempo, habilidades de luta, expansão e desenvolvimento da consciência física e mental. Derivado do Tao Yin, técnica taoísta ancestral, o Qi Gong como é conhecido nos dias de hoje teve origem durante o período da Dinastia Han (206 aC – 220 dC); entretanto, a expressão Qi Gong data do início do século XX, e descreve detalhadamente uma série de exercícios físicos e de respiração que atuam diretamente na interação corpo e mente.

Benefícios do Qi Gong

Dentre os desafios principais dos praticantes de Qi Gong, destacam-se o restabelecimento da circulação adequada da energia e do sangue pelo corpo, o fortalecimento da respiração, circulação e digestão, o alívio do estresse do dia a dia, a absorção e armazenamento de Qi e a eliminação de energias perversas através do fortalecimento do sistema imunológico.

Nos últimos tempos, diversos estudos e pesquisas vêm sendo feitos no sentido de comprovar a eficácia e os benefícios que a prática regular de Qi Gong acarreta; os primeiros estudos datam do início dos anos 70, quando pesquisadores do Instituto de Qi Gong e Medicina Chinesa de Xangai comprovaram a existência do Qi através de sensores infravermelhos. No Brasil, a partir de 1975, o Instituto Pai Lin de Ciência e Cultura Oriental e o Centro de Estudos de Medicina Tradicional Chinesa (CEMETRAC) iniciaram o ensinamento das práticas taoístas em São Paulo. Depois de inestimáveis contribuições como dos Mestres Wang Te Cheng (que introduziu o método Zhan Zhuang Qi Gong no Brasil) e Cao Yin Ming, o alto sacerdote Wu Jyh Cherng fundou a Sociedade Taoísta do Brasil, inicialmente no Rio de Janeiro e, posteriormente, em São Paulo.

Modalidades de Qi Gong

Existem diversas formas e vertentes diferentes de Qi Gong, que podem ser basicamente divididas em duas categorias diferentes: estático e dinâmico. O Qi Gong estático também pode ser compreendido como meditativo, e utiliza-se de meditações guiadas e exercícios de visualização criativa; focando a atenção da mente  em imagens específicas, é possível alterar a frequência cerebral, favorecendo tanto o relaxamento mental quanto até mesmo os processos de cura. Já o Qi Gong dinâmico se refere em uma série de exercícios físicos que integram corpo e mente através do foco nas visualizações e na respiração. Além da mudança na frequência mental, esta prática ainda visa promove a saúde pois fortalece  articulações, tendões, músculos e ossos.

Também podem ser classificados em diferentes escolas, de acordo com seus propósitos e intenções: Escola Terapêutica (fortalecimento do corpo, mente e tratamento de doenças para a longevidade), Marcial (desenvolvimento de habilidades marciais), Taoista (controle da respiração e utilização da visualização para o desenvolvimento espiritual), Budista (meditação para o desenvolvimento espiritual) e Confucionista (objetivando o desenvolvimento mental e intelectual). Em comum, todos favorecem o desenvolvimento da consciência corporal, acalmam a mente e aumentam a favorecem a capacidade de atenção e concentração, buscando a união de corpo e mente como ferramenta de Saúde e Longevidade. Pode ser praticado por qualquer pessoa, independentemente da idade ou aptidão física, individualmente ou em grupo.

Dentre os diferentes sistemas de Qi Gong destaca-se o Wu Qin Xi, técnica desenvolvida pelo famoso médico chinês Hua Tuo (141dC– 208dC). Através da observação da Natureza, Hua Tuo desenvolveu um sistema em que os movimentos imitam 5 animais, cada um deles associados a um sistema de órgãos e vísceras do corpo. Outro importante sistema de Qi Gong é o Ba Duan Jin, nome cuja tradução seria “Os oito exerícios do brocado”. Sendo uma das mais praticadas técnicas de Qi Gong, é patrimônio chinês representado em figuras desde a Dinastia Song (960dC – 1279dC), e é muito difícil estabelecer quem teria sido seu criador. Apesar disso, sua autoria comumente é estabelecida ao General Yue Fei (1103dC – 1142dC), com o propósito de fortalecer suas tropas.

A Academia BiYün de Qi Gong

A Academia, fundada na Suécia pela Grã Mestra Fan Xiulan em 1995, tem o objetivo de divulgar pelo mundo o Método Biyun de Qi Gong, desenvolvido pela própria Mestra Fan. Chinesa, Mestra Fan recebeu os ensinamentos de Qi Gong de sua avó, quando ainda era criança. Aos 30 anos de idade, ao ser diagnosticada com um problema muito sério de saúde, envolveu-se em um retiro cujo objetivo era praticar a fundo os conhecimentos transmitidos pela avó e restabelecer seu estado de saúde. O resultado foi tão positivo que a Mestra resolveu dedicar sua vida à transmissão destes conhecimentos, trazendo luz e harmonia para a vida de milhares de pessoas desde então.

Fan Xiulan é Grã-Mestra de Qi Gong certificada e premiada com um cargo de professora em Qi Gong Medicinal; é também membro da diretoria da Sociedade Acadêmica Mundial de Qi Gong Médico e vice-secretária-geral da Sociedade Chinesa de Qi Gong Médico. Visita o Brasil há mais de oito anos, e atualmente dedica-se a instalar um braço da Academia Biyun no país, a Biyun Brasil, visa promover e melhorar a qualidade de vida, tanto física como mental, através da Medicina Chinesa e do Qi Gong Medicinal. Desenvolve palestras, workshops, cursos e treinamentos. Dedica-se ainda a formar professores, sempre sob a liderança e supervisão da Mestra Fan Xiulan.

Sobre flavia