cocriador

Feche os olhos: imagine um mundo em que todos os seus pensamentos se transformem em realidade. Em que seu corpo, mente, emoções e espírito formem um todo indivisível e que todas estas partes possam funcionar em harmonia e integração. No qual você seja capaz de atrair para si qualquer coisa na direção da qual seu coração pulse – saúde, abundância, harmonia – ao mesmo tempo em que afasta de você todos os desequilíbrios e bloqueios. Imagine um mundo sem limites, sem barreiras nem obstáculos, onde você é capaz de absolutamente tudo. Onde tudo é energia. Agora abra seus olhos e olhe à sua volta: este mundo existe. Este é o meu mundo – este é o SEU mundo.

Bem-vindo ao mundo da Cocriação.

Você sabe o que é Cocriação?

Respire por um momento nesta certeza: tudo, ABSOLUTAMENTE TUDO o que existe, foi você quem criou. Não há uma única coisa, em sua vida, que não tenha sido manifestada por você. Todas as alegrias, e todas as tristezas também, partiram de você – não conscientemente, evidentemente. Mas todas as situações da sua vida foram criadas, primeiro, em um local muito especial da sua existência chamado Vórtice de Energia. É um ponto, de seu campo vibracional, em que a energia alcança seu ponto máximo de vibração e assume um formato espiralado, através do qual ela se expande e se manifesta na realidade tridimensional.

Aceitar estas ideias pode representar, em um primeiro momento, um grande desafio. Entendo isso, para mim também foi um dia. Por isso comecei este texto pedindo que você RESPIRE NESTA CERTEZA. Não peço que aceite, que entenda, que compreenda ou defenda esta ideia. Apenas respire nela, por um momento. E, enquanto você respira nesta ideia, eu sussurro ao seu ouvido: E SE isso for verdade? O que você faria?

Aposto que a primeira coisa seria você começar a se culpar, por todas as coisas ruins que já lhe aconteceram na vida. Talvez você se revoltasse: “Então, aquele assalto, eu criei? A violência que sofri, a doença que quase me matou, minha crise financeira, tudo isso eu criei? Não é possível! Não seria justo. Afinal de contas eu não sou um estúpido para criar coisas tão ruins para a minha própria vida. Isto não pode ser verdade! Não faz o menor sentido, não tem lógica nenhuma!”. Eu te digo: TEM LÓGICA. Não a nossa lógica, não a lógica que nosso raciocínio é capaz de compreender e aceitar: não a lógica desta realidade tridimensional que habitamos. Você diria, há 15 anos, que a ideia de que um dia existiria um aparelho de telefone que pode andar com você para todo canto, tirar fotos e transmitir estas fotos para qualquer lugar do mundo em segundos não teria a menor lógica e não faria o menor sentido. E, no entanto, ele está aí, no seu bolso. Eu volto a te sussurrar: e se fosse verdade? O que você faria?

Você então me questionaria: “Mas e as crianças esfomeadas na África? O que elas fizeram para merecer isso? Crianças tão pequenas, que não tiveram tempo e nem “maldade” ainda no coração para criar tamanha má sorte para si mesmas! Por que é que, então, existem pessoas más que se dão bem e pessoas boas que sofrem tanto? Isto lá seria justo? Isto não é possível, você está louca!”. Eu te digo: esqueça o bem e o mal. Sei que precisamos do bem e do mal, do quente e do frio para que possamos ter aprendizado – se tudo fosse morno, como aprenderíamos o que é temperatura? Na realidade tridimensional precisamos conhecer os polos de opostos, se não inexistiria a possibilidade de experiência e ESCOLHA. Se não existisse o bem e o mal, como poderíamos optar por um deles? Se você não conhecesse a dor não poderia escolher pelo fim dela, o que faz de uma coisa um caminho através do qual a outra possa se manifestar. Por isso eu te digo: bem e mal são dois filtros através dos quais experimentamos a realidade. Nosso papel é vivenciar, livre de rótulos e julgamentos, e apenas escolher aquilo que queremos viver. E eu volto a te sussurrar: e se fosse verdade? O que você faria?

Talvez, neste ponto, você já esteja no auge da sua irritação. Você não compreende, ou melhor: sua mente física não compreende. Nossas mentes físicas são totalmente limitadas por “firewalls” que nos impedem de usar toda a sua capacidade, pelo simples fato de que explorar toda a potencialidade representa um enorme risco para a humanidade, ainda regida pelo Ego. Talvez suas resistências agora estejam próximas a atingir um ponto em que você poderia dizer: “Ok, se posso fazer tudo o que quiser, quero ter asas. Quero voar, como um pássaro, pelos céus, e repousar em uma nuvem de algodão. Quer ir até a Lua, e olhar a Terra de lá de cima. Se posso fazer o que eu quiser, posso fazer isso?”. Eu daria uma risadinha, e te responderia: pode. Você precisa aprender algumas coisas antes disso, porque com o seu corpo físico isso não é possível. Mas você é mais do que seu corpo físico. E depois disso, te diria uma frase do Charlie Chaplin: “Nós pensamos demais e sentimos de menos!”. Você jura que, se pudesse criar a sua realidade do modo que mais deseja, você escolheria voar e deitar em nuvens? Eu aposto que, quando você reclama da sua vida com os seus amigos ou familiares, você NUNCA diz: “A vida é tão difícil, que falta de sorte eu tenho… Meu maior problema é não ter asas, não me deitar sobre as nuvens e olhar a Terra lá da Lua”. Eu te diria: baixe sua guarda. Eu te diria: vença suas resistências. Eu te diria: veja só, você pode criar a sua realidade. Escolha qualquer coisa, qualquer problema, e me prove que você NÃO PODE mudar isso. Você talvez coçasse a cabeça, começando a ter dúvidas. E eu insistiria: e se isso fosse verdade? O que você faria?

Daí, inevitavelmente, você me perguntaria: “Caramba, mas então: o que é que eu estou criando? O que, afinal de contas, eu estou manifestando? Como posso saber o que estou fazendo neste exato momento?”. E eu te diria – eu te digo: olhe à sua volta. Olhe para tudo o que existe fora de você. Se você quiser saber o que é que está vibrando, olhe para o que te cerca. Seus amigos. Seus relacionamentos. Sua conta bancária. Sua saúde, seu corpo. Seu trabalho. Olhe para a sua casa, para as suas gavetas, para as suas unhas. Tudo o que existe à sua volta é um pareamento vibracional perfeito do que existe dentro de você. Tudo o que te cerca é um indicativo bastante preciso da qualidade da vibração que você vem emanando através do seu Vórtice. E aí, eu não mais sussurro. Eu olho nos seus olhos e te pergunto, em voz alta: e se for verdade? O que você vai fazer?

Eu espero que, neste ponto, suas resistências tenham caído por terra – eu espero que você esteja sentindo, dentro das suas entranhas, todos os outros vocês começarem a se agitar. “E se for verdade? E se for verdade? E se for verdade?”, todos eles sussurram, e na mesma medida em que sua vibração vai aumentando neste sentido, no sentido da curiosidade, no sentido do encantamento, no sentido da libertação que é encarar o mundo desta forma… Sua mente começa a lhe dar as imagens do que você realmente faria.

Saúde plena. Contentamento consigo mesmo. Amizades construtivas, pessoas que verdadeiramente compartilhem de seus interesses. Uma profissão nova – totalmente nova, que você invente! Melhor ainda: você fazendo aquilo que mais ama fazer NO MUNDO, e sendo tão bom nisso que as pessoas começam a lhe pagar para que você faça isso para ou por elas. Abundância financeira – dinheiro suficiente para fazer o que você precisa fazer, no momento em que precisa fazer, do jeito que é mais adequado que faça. Uma vida sem preocupações – sem pré-ocupações – já que você entende, e aceita, e pratica a observação de desenvolvimento constante de si mesmo. Pois você sabe que tudo, absolutamente TUDO no SEU MUNDO depende apenas de você.

Eu não sei o que é melhor para ninguém – e muito menos o que é melhor para você. Eu sei, apenas, o que é melhor para mim. Sei apenas dos caminhos que trilhei e das terras onde eu estive. Sei apenas das dores que eu senti. E foi exatamente no centro das minhas dores que delas eu me apoderei. Sem mais mocinhos, bandidos e salvadores da pátria – apenas eu, comigo mesma, na minha vida. Apenas: EU.

Eu não sei o que é melhor para você, mas sei o que foi melhor para mim e, ao longo da minha caminhada, fui colecionando uma variedade de ferramentas que serviram como pequenas lamparinas a me iluminar o próximo passo. Preste atenção: eu não disse “a me iluminar o caminho inteiro”. Eu disse: a me iluminar O PRÓXIMO PASSO. Porque você não precisa saber exatamente tudo o que vai fazer daqui em diante para chegar a ter a vida que quer ter, para conseguir manifestar o que quer manifestar. Você não precisa saber O QUE VAI ACONTECER. Você precisa saber apenas O QUE ESTÁ ACONTECENDO. Onde você está resistindo. Em que ponto do caminho você está se boicotando. Quais as suas zonas de conforto. Em quais momentos você diz “sim”, querendo dizer “não”. Em que momentos duvida da sua própria capacidade.

No momento em que você se dá conta do que está fazendo AGORA, você tem a chance de agir. E é nesta ação que eu me proponho a estar ao seu lado, pois se tem uma coisa que eu aprendi na minha vida, se tem algo em que eu acredito com toda a minha força é a ideia de que tudo aquilo em cuja direção seu coração realmente vibrar lhe será dado no momento mais perfeito. Novamente: não falei “tudo aquilo que você quiser” ou “tudo aquilo que desejar”, porque o querer e desejar não partem, muitas vezes, do coração. Às vezes o querer e o desejar vêm muito mais da mente do que de qualquer outro local, por isso: apenas o que seu coração reconhece como verdade, como uma pulsação, faz sentido dentro do seu campo vibracional e do seu Vórtice de Energia. Isto é Manifestação: é vibrar alguma coisa tão fortemente e tão rapidamente que a vibração não encontra outra alternativa a não ser expandir. E é nesta expansão que a matéria física é criada, tal como no Big Bang. Seja seu próprio Big Bang – seja seu próprio Universo.

Seja COCRIADOR ♥