0
Lei da Atração e relacionamentos amorosos

Lei da Atração e relacionamentos amorosos

P: “Comecei a aplicar a Lei da Atração e realmente consigo enxergar mudança incríveis acontecendo em minha vida. Entretanto, não consigo ver resultados na vida amorosa. Visualizo, muitas vezes sinto, faço afirmações positivas e acredito que está chegando, mas estou há alguns anos sem viver um relacionamento de verdade e não sei onde pode estar o meu erro. Você pode me ajudar?”

R: Resolvi responder a esta pergunta aqui porque é enorme o número de pessoas que me mandam mensagens dizendo exatamente isso. “Comecei a aplicar a Lei da Atração nisso e funcionou, mas naquilo não vejo resultados”. Aí é que começa o engano, primeiramente porque não se começa a aplicar a Lei da Atração – ela é uma LEI, uma constante em nossas vidas. Você, eu, todos nós estamos sujeitos à Lei da Atração desde o primeiro dia de nossas vidas.

Uma das Canalizações que mais me traz contentamento, ABRAHAN-Hicks, diz com sua enorme sabedoria: “Se você quer saber o que vem vibrando em seu vórtice de energia, apenas dê uma olhada nas pessoas que te cercam, no dinheiro que você tem na conta, nos amigos com os quais interage, no trabalho que você desempenha. Porque tudo, ABSOLUTAMENTE TUDO o que existe no seu exterior é apenas um reflexo de quem você é no seu interior – no centro do seu vórtice de energia”. Então vamos mudar a linguagem utilizada aqui: a Lei da Atração sempre funciona, mas no campo amoroso você não gosta do que está atraindo – no seu caso, a solidão e a ausência de um relacionamento.

A grande questão relacionada à Manifestação (que nada mais é do que usar a Lei da Atração de forma consciente) é que nós não atraímos o que queremos, e não atraímos o que pensamos. Atraímos para nós exatamente aquilo que somos – e, no seu caso, parece que você está vibracionalmente harmonizada com a solidão. Reflita, por um instante, se você possui a abertura necessária para viver um relacionamento, porque muitas vezes nós queremos muito algo, mas não existe aquele espaço para efetivamente viver isto em nossas vidas.

Vou dar um exemplo, baseada no que conversava com uma cocriadora dia desses. Ela me dizia que queria ter um salário X por mês, que isso seria a solução de muitos de seus problemas. Alguns minutos depois, ela disse, sem se dar conta, de que não se sentia merecedora de coisas melhores do que as que ela tinha. Você consegue perceber o “pulo do gato” aqui? Ela quer o salário X, que é maior do que o que ela recebe atualmente – mas não se sente merecedora de receber coisas melhores do que as que já possui. O que você acha que ela está vibrando? O salário que ela QUER ou o SENTIMENTO de não ser merecedora?

Meu conselho é: questione-se, muito honestamente, se você tem abertura em sua vida para receber o relacionamento que deseja viver, e se perceber a existência de crenças limitantes a seu próprio respeito, do tipo “eu não sou amada”, ou “ninguém nunca vai gostar de verdade de mim”, ou ainda “nada do que faço dá certo”… Sugiro que você busque ajuda para tentar entender de onde vêm essas crenças, e como você poderia transformá-las, pois muitas vezes nem nos damos conta destes pensamentos que influenciam tanto nossos sentimentos com relação a nós próprios. Pensamentos do tipo “ah, a Lei da Atração está me trazendo isso e isso é bacana, mas aquilo ali não está legal” apenas te boicotam, porque na hora em que você pensa assim, está se sintonizando com o que não está legal e com os sentimentos que o que não está legal causa em você.

Afirmações positivas são ótimas, mas apenas se elas de fato forem capazes de alterar significativamente os seus sentimentos, caso contrário você estará apenas recitando palavras que não ecoam em seu coração. Ocupe-se em sentir-se bem, e se seus pensamentos forem fortes o suficiente para te impedir, busque ajuda para lidar com eles. Nós não somos o que pensamos – somos o que há dentro de nossos corações.

Sobre flavia